bebe, vacinas, mao

Vacinação: Eu fui vacinada e o meu bebé teve tosse convulsa!

Depois de publicarmos o artigo sobre a gravidez (aqui) e as vacinas (aqui), e depois de a mãe ter levado a vacina da tosse convulsa, recebemos muitas mensagens sobre este tema… Sobretudo com o motivo “Eu tomei a vacina e o meu filho teve”.
Não vamos entrar aqui na discussão contra e favor das Vacinas… Honestamente sei que em muitos casos as vacinas são extremamente eficazes (sobretudo para minimizar os riscos) e também sei que existe um lobby e um negócio imenso … Mas aquilo que eu jamais suportaria era ter um peso na consciência de poder ter feito algo (ou pelo menos minimizar os riscos).
O testemunho (arrepiante) que partilhamos hoje é deu uma (tri) Mãe de 2 bebés que tiveram tosse convulsa e na altura esta vacina ainda não era dada a grávidas.
“Depois do que vivi com os meus filhos, sempre que vejo uma grávida com dúvida na toma da vacina eu conto a minha história. Graças a Deus teve um final feliz. Mas sei que naquele ano foram algumas as mortes de bebés com esta doença.”
Com estes artigos esperamos ajudar a clarificar algumas questões da gravidez e da saúde do bebé. Espero que gostem!
Veja aqui tudo o que precisa saber sobre tosse convulsa

Testemunho da Tri_mamy

Decidi escrever isto porque tenho visto muitas grávidas com dúvidas na toma da vacina para esta doença. Na altura em que estive grávida ainda não se administrava nas grávidas, infelizmente, porque teria evitado este pesadelo pelo qual passamos em que tememos pela vida dos nossos filhos.
Com apenas 1 mês de vida, o Gustavo começou com uma tosse estranha que nos levou à urgência do Hospital de São João onde foi diagnosticado com tosse convulsa. Pensei que esta doença já não existia, que era coisa do passado. Mas a verdade é que estávamos a passar por um surto no nosso país e esta é uma doença de tal forma contagiosa que o menino ficou logo em isolamento e todos os que tivemos contato com ele nos dias anteriores tivemos que fazer antibiótico.
Para quem não sabe a tosse convulsa é causada por uma bactéria extremamente contagiosa e pode ser fatal, principalmente em bebés com menos de 3 meses. Depois de ter passado por tanto na gravidez e nos primeiros dias de vida, estava diante de mais uma batalha.
O Gustavo foi encaminhado para isolamento no CMIN (Porto) e lá permaneceu por 1 semana. Só eu e o pai podíamos estar com ele, e todos os profissionais que entravam no quarto tinham que estar devidamente protegidos com batas e máscara. Como se acumulava uma grande quantidade de expectoração nas vias respiratórias, era necessário monitorizar constantemente o nível de oxigénio no sangue e ajudá-lo a voltar a respirar sempre que lhe dava um ataque de tosse.
No meio disto, comigo a passar quase todo o tempo no hospital (felizmente tenho um marido que dormiu com o menino lá sempre que foi necessário), mais uma vez me separava da minha menina e do meu outro bebé.
Cerca de uma semana depois de regressar a casa com o Gustavo, o Alexandre começa a tossir, a mesma tosse estranha… não queria acreditar no pesadelo que estava a viver… Após uma visita às urgências, lá vamos nós novamente para isolamento, desta vez com o outro gémeo.

Mas o Alexandre, talvez por ter passado por mais desde que nasceu e estar mais fragilizado do que o irmão, pregou-nos mais sustos. Cada ataque de tosse que tinha era um pesadelo para que voltasse a respirar. Ficava roxo e sem reação.

Apesar disso, uma semana depois, tivemos alta e fomos para casa. Só que não fui tão tranquila como aquando da alta do Gustavo. Apesar de melhor, o Alexandre ainda se engasgava muito. Sempre que dormia acordava com ataques de tosse e não reagia enquanto não lhe molhássemos a cara com água. Este sangue frio era o meu marido que tinha, eu ficava em pânico.

Sim, podia ter ido de novo com ele para o hospital, mas só a ideia de voltar a ficar internado… Eu não aguentava mais, uma mãe é forte mas não é de ferro e desenvolvi um verdadeiro pânico de hospitais.

Chegou o dia em que tive que ficar sozinha com eles e estava cheia de medo de não conseguir acudi-lo.

O primeiro ataque de tosse que ele teve fiz exactamente o que o pai lhe fazia, passei água no rosto dele e ele com a aflição reagia e conseguia voltar a respirar.
Só que de uma das vezes que ele acordou atrapalhado com a expectoração não tossiu, arregalou os olhos, esperneou um bocado e quando pego nele ele ficou inanimado nos meus braços, não estava roxo como de costume mas cinzento. Passei-lhe a água na cara e ele não reagiu. Ainda hoje não sei onde fui buscar o sangue frio, mas quando pensei que o meu filho não respiraria mais e eu não ia a tempo de o levar para o hospital e o salvar, eu suguei-lhe o nariz. Bastou 2 sugadelas para o meu menino começar a chorar.

“Depois do que vivi com os meus filhos, sempre que vejo uma grávida com dúvida na toma da vacina eu conto a minha história. Graças a Deus teve um final feliz. Mas sei que naquele ano foram algumas as mortes de bebés com esta doença.”

Porque queremos o melhor para o seu bebé, veja aqui as receitas até aos 12 meses.Veja aqui as primeiras papas e sopas para o seu bebé

papa, bebe, comer, cadeira

Receitas a partir dos 6 meses,

Receitas a partir dos 7 meses,

Receitas a partir dos 8 meses,

Receitas a partir dos 9 meses

Receitas a partir dos 12 meses

Deixar uma resposta