Ser Pai é…

Neste dia não me esqueço que além de pai, sou filho e neto… E quão difícil e traquina fui, mas ao mesmo tempo certo do pelo caminho que queria seguir! Ter sido filho e agora ser pai começa por saber que sempre quiseram o nosso bem, mas só agora damos real valor! Ser neto é acima de tudo, fazer tudo o que se quer com “um pai mais maduro” e sem a preocupação de educar… Sendo esta “(des)educação” tão ou mais importante, que a nos é dada pelos nossos pais!

A primeira vez que me senti realmente pai, tinham passado 5 minutos do nascimento do L, quando lhe vesti a primeira roupinha… Das primeiras 24h recordo-me de todos os minutos… E lembro-me que foi ele, com apenas algumas horas de vida, que nos ensinou a ser pais!
(esta frase está na moda esta semana by Gustavo Santos)

Os primeiros tempos como pai, como ouvi alguém dizer ”é como se convidássemos um estranho para viver lá em casa e se apoderasse de tudo… Da mulher/mãe, das horas de dormir ou jantar”… São por isso períodos de adaptação e momentos de constante evolução na vida.

Como em todas as relações de amor, há um período de “namoro” até haver a verdadeira paixão e amor, até porque na relação mãe/filho a posição do pai, é sempre de “outsider”, mesmo que inconsciente (as licenças de paternidade também não ajudam).

Quem pensa que ser pai ou mãe é só um mar de rosas, está profundamente enganado… Se vale a pena? Sem dúvida, é a melhor coisa que há no mundo e por quem nutrimos o maior dos amores…

Ser pai… É ter alguém que nos faz rir e chorar num curto espaço de tempo… É fazer birra e chatear-nos e de seguida dar-nos beijinhos ou soltar aquela gargalhada com um sorriso malandro… É um “prolongamento” nosso (por vezes tão parecido em certos aspectos, que até arrepia)… É ficar aflito com uma simples febre… É ter saudades de tudo no nosso filho, mesmo das birras! É não o ver por 24h e dizer “Está tão diferente”!

15 meses passados como pai, 9 meses depois de termos este blog… Sinto-me feliz, completo, realizado e amado! Que mais pode um pai querer?

Um especial obrigado à mamã da Pitada por fazer de nós  “Pai e filho”

Deixar uma resposta