Madeira de A a Z

Se está a pensar ir à Madeira, aqui fica tudo o que precisa de saber para visitar esta incrível beleza Natural. Se não está, pode ser que fique J

(Se quiser saber mais sobre a organização da viagem veja o artigo – A nossa Viagem À Madeira – em que contamos como organizámos os dias de viagem).

Mapa da ilha

Aquário Porto Moniz: Já estávamos familiarizados com Porto Moniz, pois anteriormente já lá tínhamos estado nas piscinas. Desta vez, com o tempo mais “invernoso” tivemos a oportunidade de ir a sítios de outra natureza e fomos ao Aquário. Lá, vimos as espécies que coabitam a costa e ficámos rendidos com a diversidade e cores dos peixinhos lá existentes. É claro que o peixe preferido do Lourenço foram os 5 tubarões que por lá andavam.

Barco dos piratas: Como o Lourenço estava a dormir na hora do almoço, fizemos um piquenique na Marina do Funchal, com comida que tínhamos trazido do pequeno almoço e fizemos tempo para a hora do barco (convém reservar os bilhetes). Da viagem, tivemos azar e só vimos 2 tartarugas. O Pai enjoou na viagem como é normal… mas ir e mergulhar no Cabo Girão… Vale a experiência! Água azul, azul, azul… Que saudades!

Bolo do caco: Provámos vários e no global são tomos muito bons… Mas elegemos o Bolo do Caco Especial do Faísca (junto à Levada dos Balcões) o melhor para repor as energias depois da Levada. E a ponchade maracujá também vale bem a pena!

Cabo Girão: Foi o nosso ponto de encontro com a família da Freshbio, começámos por lá apreciando aquela linda paisagem. A uma altitude de 580 metros, conseguimos apreciar a vista sobre o oceano, duas das fajãs, Câmara de Lobos e Funchal.

Calheta: Não nos disse muito, apesar de ser uma praia de areia (existem 2 na ilha Calheta e Machico), resolvemos voltar às piscinas de Porto Moniz, onde passamos outra tarde agradável e despedimo-nos dos mergulhos daquela ilha.

Caminho pés descalços: Quem não gosta de uma massagem nos pés? Este percurso através de elementos da natureza, tais como, pinhas, folhas, calhaus, lamas, areias e água, proporciona uma reflexologia natural que sabe bem a miúdos e graúdos. Adorámos andar descalços e sentir todas estas sensações.

Desfrute: A ilha da Madeira é mesmo a Pérola do Atlântico. Tem Natureza, locais para visitar, tem praias naturais, tem boa comida, fruta maravilhosa… E tem bolo do caco e poncha!

Estradas: Existem várias Vias Rápidas (VR) com excelentes acessos, mas quando queremos visitar algo “fora do Funchal” prepare-se para subir, descer, travar e fazer vários pontos de embraiagem. Escolha um carro potente e conduza com precaução!

Fajã dos Padres: Teleférico caro, mas com acesso íngreme e super-rápido a uma zona de plantações Bio… Tivemos azar que neste dia não houve guia, mas pudemos usufruir da praia e de um excelente peixe fresquinho ao almoço. As Fajãs são locais fantásticos para plantar, pela baixa amplitude térmica. A fruta da fajã é incrível, as mangas, os mangos, os maracujás, as bananas e os mamões… Dá fome só relembrar.

Funchal: Tanto para contar…  Marina, Hotel e Museu do CR7 pontos de passagem e a não perder. Mercado dos Lavradores – fruta incrível (atenção ao preço, pois é muito caro). Existem muitas bancas de fruta na rua, almoçámos no Restaurante Sal (menu de almoço muito bom e em conta). Subimos de Teleférico até ao Monte, descemos os Carreiros (mete medo, mas vale a pena) e tirámos uma foto com o Cristianinho! (o carrinho de bebé não é impeditivo de fazer nada disto, pois nós tínhamos connosco o do Lourenço)

Grutas de São Vicente : É incrível estar “dentro” do vulcão que originou a formação da ilha. Um pouco de história, com muita beleza à mistura e ver o “nascer” da água que é comum em vários pontos da ilha.

Hotéis:  Em Junho ficámos na zona do Lido, bem perto do Funchal e do Forum Madeira. Em Novembro ficámos no Hotel Quinta da Serra, no Estreito de Câmara de Lobos. Adorámos ambas as experiências, mas são para objetivos distintos. No Lido estamos mais perto do centro, no Estreito permite-nos aproveitar e contemplar mais a Natureza.

Levada dos Balcões: Uma levada, pelo menos uma, era um dos passeios que a mãe tinha planeado e tinha muito gosto em fazê-lo, só não sabíamos se era viável com o nosso pequeno. Tivemos sorte, na viagem de carro o Lourenço dormiu uma cestinha e até acordou bem disposto, aproveitando o momento, demos corda aos sapatos e fomos caminhando… ao início começou a pedir colo, mas com paus e pedrinhas, com músicas e jogos, lá nos fomos entretendo-o pelo meio da natureza. A chegada ao miradouro foi qualquer coisa, todas aquelas paisagens são lindas e dignas de serem apreciadas, valeu mesmo a pena o esforço. É claro que para o Lourenço o mais engraçado foi ver os passarinhos a comer restos de bolacha, mas tenho fé que todas estas memórias fiquem para ele e que o preparem para a vida de alguma forma. No final da caminhada recomendamos o Restaurante do Faísca, foi sem dúvida a melhor poncha de maracujá e prego em bolo do caco que já comemos (nunca é demais repetir :))

Meteorologia – Varia mesmo de região para região, cada um tem um microclima. Quando lá estiver use o netcast madeira? e assim vêm a meteorologia de cada sítio antes de irem!

Miradouro das Achadas da Cruz: A caminho de Porto Moniz, fomos contemplar esta paisagem deste miradouro… apenas pare e desfrute. Cuidado com as Selfies à beira dos precipícios!

Parque temático da Madeira: Este foi o primeiro local que visitámos na ilha da Madeira, como chegámos cedinho e apesar das poucas horas de sono estávamos fresquinhos, então resolvemos começar pelo parque temático, aproveitando que estávamos deste lado da ilha. Estava nublado e com muita humidade, mas deu para dar uma voltinha de barco a remos, conhecer um pouco da cultura da Madeira através dos pequenos e grandes objetos espalhados pelo parque, para não falar que faz as delícias dos mais pequenos.

Piscinas Porto Moniz: Tarde bem passada, céu limpo, um sol quente, só neste dia gastei quase um frasco de protetor…o Lourenço adorou e foi aqui que começou a pedir os primeiros xixis. Assim que saímos à porta da piscina adormeceu, tal não era o cansaço. Para nós as melhores piscinas da ilha.

Piscinas: Perto de nós tínhamos a piscina do Hotel, o Complexo Balnear do Lido e mais 2 “praias”. Tudo se paga, mas está tudo bem arranjado e com condições. Água salgada, nalguns casos com acesso ao mar, e com escorregas e piscinas para os mais pequenos.

Ponta do Sol: O caminho de Porto Moniz até à Ponta do Sol foi qualquer coisa de extraordinário. Nós adorámos! Aqui, um “cantinho” tão aconchegante… Por do sol e jantar, passeio a pé pela parte histórica, sossego e tranquilidade.

Quinta pedagógica dos Prazeres: Nesta quinta podemos observar alguns animais e alimentá-los com pequenos saquinhos de milho, que se compram à entrada. O Lourenço adora animais e é um bom sítio para visitar com crianças e também faz as delicias dos adultos, pois têm produção de cidra artesanal, entre outros produtos.

Túneis: É incrível a quantidade túneis e o quão facilitador é para nos descolarmos na ilha. Dei por mim a pensar inúmeras vezes como é que as pessoas se deslocavam antes dos túneis.

Taberna da Poncha: Na Serra de Água, à beira da estrada fica esta taberna muito característica…a tasca mais conhecida de poncha, em que se come amendoins e deitam-se as cascas para o chão. Foi o último sítio em que tivemos antes do aeroporto.

Viagem: a viagem dura cerca de 1:30. Já se consegue voos baratos quer na TAP, quer na Easyjet. Em Junho, fomos de madrugada, até deixamos o Lourenço vestido de véspera que foi o melhor que podíamos ter feito, só acordou ao entrarmos para o avião. Em Novembro, fomos ao fim do dia, em dia de chuva alguns problemas no aeroporto de Lisboa (com atrasos “normais”). As aterragens foram tranquilas e correu tudo bem. Felizmente!

Veja tudo sobre a nossa Viagem à Madeira e as receitas preparadas nos Workshops 🙂

 

Agradecimentos

FreshBio,

Visit Madeira,

Hotel Quinta da Serra, 

Goldcar, 

Fnac

Pollenlife.

Deixar uma resposta