Skyr, iogurte natural ou iogurte grego – Qual o melhor para si?

Depois do Lidl e do Jumbo, chegou a vez do Continente lançar os famosos Skyr, por sua vez da marca Arla. A ideia é a mesma: um produto rico em proteína e baixo em gorduras, mas as versões com fruta apresentam algumas diferenças, sobretudo ao nível dos açúcares:

Foto: Arlafoods

*média dos 4 sabores disponíveis

Se vai treinar, conheça estas barritas paleo e a nossa receita de barritas paleo – aqui
  Para saber mais, basta clicar na imagem

Mas mais do que olhar para os números, convém olhar para os ingredientes!

  • Natural Milbona: leite desnatado, fermentos, coalho microbiano; (veja aqui a nossa análise aos Skyr Milbona)
  • Natural Arla: iogurte Skyr natural (leite);
  • Fruta Milbona: leite magro, água, fruta (consoante o sabor), amido modificado, sumo de limão obtido a partir de um produto concentrado, espessantes: pectinas, goma xantana; extrato natural corante de cenoura, reguladores de acidez: citratos de cálcio, ácido cítrico; culturas de arranque, coalho microbiano, aroma natural, edulcorantes: aspartame, acessulfame-k. Contém uma fonte de fenilalanina;
  • Fruta Arla: Iogurte Skyr (Leite Desnatado) (85%), mirtilo (3,7%), baga de sabugueiro (3,7%), açúcar (3,6%), Amido de milho, sumo de limão concentrado, aromatizantes naturais.

Vemos que as versões naturais têm bons ingredientes e uma boa informação nutricional, mas há que saber usá-los! Não é por serem ricos em proteína que devem ser consumidos como pós-treino, por exemplo, pois a proteína presente nos Skyr é a caseína, de absorção lenta. Assim, pode ser consumido como snack ao longo do dia, ou à ceia, mas não como pós-treino, pois aí interessa uma proteína de absorção rápida.

Acima de tudo são um produto da “moda”. Não deixam de ser saudáveis, mas preferimos os nossos “danoninhos” de inhame e outros lanches “caseiros” para as nossas crianças.

No entanto, convém lembrar que, segundo o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, a maioria dos portugueses consome proteína acima da estipulada para a população em geral pela OMS, pelo que não será aconselhado trocar simplesmente um iogurte natural pelo Skyr (que não é iogurte, mas sim queijo!).

Se estivermos a falar de atletas, por exemplo, o caso muda de figura, pois têm necessidades energéticas e proteicas acrescidas.

Em relação às versões com fruta, o melhor será deixá-las na prateleira do supermercado! Têm imensos ingredientes desinteressantes, por isso é preferível triturar a sua fruta em casa e misturar com o Skyr natural, por exemplo.

Aproveite 10% de desconto em todos os artigos na Prozis, basta usar o cupão APITADADOPAI.

Para saber mais, basta clicar na imagem

 

E para as crianças?

Apesar dos Skyr serem ricos em cálcio, o que é benéfico para o desenvolvimento de ossos e dentes fortes, a quantidade de proteína pode ser excessiva. Não é que as crianças não possam consumir o Skyr natural, mas metade da embalagem de cada vez será suficiente.

Outra alternativa são os “velhinhos” iogurtes naturais, ou então os “danoninhos de inhame” (receita aqui), para crianças intolerantes à lactose, por exemplo

Atenção que estas duas opções não são nutricionalmente equivalentes, mas ambas são opções saudáveis.

Texto escrito numa colaboração A Pitada do Pai e Ana Isabel Monteiro (blog Laranja-lima Nutrição)

Deixar uma resposta